segunda-feira, 19 de abril de 2010

Agapornis!!!! Qual???

Não sendo eu criador de psitacídeos, vou escrever algo simples para que qualquer "leigo" possa saber um pouco mais à cerca deste magnifico pequeno papagaio que é o Agapornis. Estou certo que muitos criadores dedicados fariam muito melhor mas, volto a recordar, não sou criador destas espécies, o meu conhecimento e muito básico.
Há uma grande confusão entre os agapornis, no entanto vou tentar demonstrar algumas diferenças e semelhanças entres estas espécies: Fischers, Personata, Nigrigenis e Rosicollis

Estou a tentar fazer o meu melhor!!!! fotos e vídeo já tenho, quero no entanto realçar uma facto, por não conhecer nenhum criador de Nigrigenis perto do local onde moro, recorri a uma imagem que não é minha, a fotografia é pertença do Sr. Wolfieman.
agape - ornis
A origem do seu nome deriva da palavra agape (nome grego para amor) e ornis (designa pássaro), a junção dos dois nomes deu o nome a este pequeno papagaio colorido, o Agapornis.

Pequenos papagaios conhecidos por: aves do amor ou inseparável, nome dado pelos criadores pelo seu carácter dócil e amoroso para com a(o) sua/seu parceira(o), depois de formar par (casal) tornam-se defensores do seu ninho, passando a dormir juntos e namorando na maior parte do tempo, não admitindo que outros se interponham no seu relacionamento, sendo inseparável da sua companheira(o) até a morte, há mesmo relatos de pessoas, que afirmaram, após a morte de uma ave, ocorreu a morte do outro companheiro do casal pouco tempo depois; ficam tristes, andam no fundo da gaiola sem alegria chamado todo o dia pela outra aves, passando os dias sem grande apetite acabam por ficar fracos e morrem, talvez por este facto se diz que acasalam para a vida e são inseparáveis, nome pelo qual também são conhecidos.
Agapornis fischer
Agapornis Fischer, características:
Cabeça - bico vermelho, “mascara” vermelho-laranja, nuca acastanha escuro, auréola (círculo) do olho branca; pescoço - ”colar” amarelo; asa e corpo, verde escura e verde amarelado; cauda - parte superior azul.
Origem: África
Distribuição:Norte da Tanzânia.
Porte: 14cm
Dimorfismo sexual:não aparente, talvez o macho seja um pouco mais pequeno
Mutações: azul, violeta,amarelo,branco entre outras.
Ameaçado de extinção, características genéticas muito idênticas com as do personata, no entanto muito diferentes no fenótipo, é muito fácil ser confundido com o personata e vice-versa.


Agradeço ao meu amigo Zé "Palhinha", o facto de me ter recebido em sua casa, possibilitando dessa forma a recolha de algumas das fotos deste artigo.
Agapornis fischer, mutação amarela.



Agapornis nigrigenis
Fotografia de: Wolfeiman
Agapornis nigrigenis características:
Cabeça - bico vermelha a terminar em branco perto da narina, “mascara” do olho para cima, castanho avermelhado e a parte de baixo do olho preta, a parte da garganta é laranja, auréola (círculo) do olho, branca; pescoço: ”colar” amarelo esverdeada; asa e corpo: verde e verde amarelada; cauda: parte superior verde.
Origem: África
Distribuição: Sudoeste da Zâmbia, Nordeste da Namíbia, Botswana e Zimbabué.
Porte:13cm a 15 cm.
Dimorfismo sexual: não visível, talvez o macho seja mais pequeno.
As crias abandonam o ninho por volta dos 30 a 35 dias.
Mutações: lutinos e azul
Observação: macho e fêmea chocam, foi um dos ultimos psítacideos a ser descobreto por volta de 1906, espécie ameaçada de extinção.
Agapornis personata
Agapornis personata (ancestral) características:
Cabeça - bico vermelho, “mascara” preta, auréola (círculo) do olho branco; pescoço - ”colar” amarelo; asa e corpo, verde escura e verde amarelada; cauda – parte superior verde.
Origem: África
Distribuição: Tanzânia, Nairobi, Dar es Salaam e Mombaça.
Porte:13 cm a 15cm
Dimorfismo sexual, não aparente, embora o tom da cor da cabeça das fêmeas posa ser mais desmaiado, fêmea mais pesada (maior) que o macho.
Os filhos começam a voar , por volta dos 33 dias.
Mutações: Lutinos, Azuis, Amarelos, Brancos, Cobalto,Malva, Pastel e Malhados
Agapornis personata mutação azul.


Agapornis roseicollis
Agapornis Roseicollis, características:
Cabeça - bico, marfim claro, “mascara”bem marcada , salmão-rosado forte; olho - aureola (círculo) branco fino; asa: verde escuro e corpo verde claro ; cauda: parte superior azul "vivo", parte inferior verde
Porte: aproximadamente 15 cm a 17 cm.
Origem: Sudoeste da África
Distribuição: Namíbia e Sudoeste de Angola
Dimorfismo sexual, não aparente, talvez o macho seja mais pequeno.




Mutações:
Pálido, Azul, Pastel, Lutino, Canela Americana, Canela Australiano, Factor de escurecimento, Malhados, Face rosada, Face branca, Face laranja, Golden Cherries, Silver cherry (asas rendadas)entre muitas outras, sendo as mais recentes os Opalinos e os Sufussion. O elevado número de mutações e de possivéis combinações entre elas, tornaram o Agapornis Roseicollis na espécie mais conhecida e difundida entre os agapornis.
De hábitos semelhantes no que diz respeito à alimentação, alojamento, socialização, ninho e criação.
Alojamento:
Deve ser colocado preferencialmente em viveiros/gaiolas espaçosas, em muitos casos de falta de espaço durante a criação os agapornis tornam-se agressivas com aves da mesma espécie ou outras, podendo mesmo matar, é uma aves óptima para gaiolas de jardim mas, também se pode ter estes pequenos papagaios coloridos em casa, as medidas mínimas aconselhadas para se manter um casal Agapornis são: 70cmX30cmX50cm, muito cuidado com estes pequenos papagaios, são capazes de abrir portas, sair pelos comedouros pendurados da parte de fora das gaiolas, não subestime a sua inteligência.
Alimentação:
Mistura de periquito com girassol, o melhor é comprar numa pet-shop alimentação específica para agapornis, também comem legumes,cenouras, sempre frescos; muitos criadores variam a alimentação base, dando-lhe mistura para pombos (de boa qualidade), demolhando-a; é uma alternativa muito boa durante todo o ano, não esquecer o grite, ou choco (ricos em cálcio e sais minerais), as frutas (milho cozido ou cru, maçã, pêra, uvas, manga entre outras) e legumes (cenouras, endívias, talos de couve, dente de leão) todos estes alimentos devem ser frescos e sempre livres de químicos. Em casos grave de falta de alimento ,podem ser alimentados com granulado de gato por pouco tempo ,se for este o caso a água deve estar sempre à sua disposição ,relembro que há no mercado comida (tipo biscoitos) seca para estas aves (NutriBirds G14) Versel -Laga.
Sociabilização:
Gosta muito de companhia, adora viver em grupos grandes, alegre e barulhento, depois de formar casal se a gaiola não foi espaçosa (grande) pode ser agressivo para com os outros, defende o seu ninho com tal vigor, que pode mesmo matar que não respeitar o seu espaço durante o choco e criação da sua prole, se crido de pequeno à mão fica dócil e vê no dono o companheiro de vida, podendo mesmo a emitir e repetir som, em casos menos esporádicos falam, não esquecer que este pequeno papagaio é muito inteligente.
Ninho de criação:
A madeira é o material recomendado, o ninho deve ser em forma de caixa em forma de (L) de forma rectangular na posição horizontal ou vertical, medidas (20cmX25cmX15cm) com um buraco de entrada e saída do ninho de 5 a 7 cm de diâmetros, o ninho deve ter uma pequena abertura para se poder averiguar o estado dos ovos, limpezas, saúde das crias e progenitores, a sua colocação pode ser interior ou exterior, sendo aconselhada a colocação externa para evitar stress nas aves.
Estas aves gostam de levar material (folhas de palmeira verde, ramos de pinheiro verde ou pequenos ramos verdes) para forrar o interior do ninho, esta tarefa cabe só à fêmea, contrói um pequeno túnel da entrada até ao fim do ninho , local onde faz um ninho muito redondinho.
A postura é feita com intervalo de 2 dias entre cada ovo, num número de 3 a 5 ovos, só a fêmea faz o choco (em agumas espécies) o papel do macho é de vigiar e defender o ninho dos “predadores”, a gestação no interior dos ovos é de 22 a 24 dias, não esquecer, as crias não nascem todas no mesmo dias, não há que ter precauções, os pais sabem como fazer para o sucesso da ninhada, as crias começam a voar entre os 30 a 40 dias.

As aves devem ter períodos para se recompor, as criações são muito trabalhosas e desgastantes para o casal, devemos então dar alguns suplementos alimentares, vitamínicos, sais e cálcio.

5 comentários:

Carlos Gomes disse...

Parabens pelo excelente trabalho que aqui apresentas, tem muitas e boas fotos. É de realçar, não sendo tu um criador dessa espécie, apresentares neste blog um trabalho para a divulgação e conhecimente desta ave. Um abraço

Birdsblog disse...

Olá Carlos,
muito obrigado pelo teu comentário, esse é um dos objectivos deste blog,divulgar de maneira simples e objectiva a ornitologia, se poder fotografar as aves tanto melhor, 1º na casa de um ou mais criadores, depois, em local onde eu possa controlar as aves, é óptimo, isso da-me tempo para obter informação sobre a espécie, simplificar essa informação para os artigos, tentando dessa forma fazer que qualquer pessoa menos conhecedora possa de uma forma fácil simples resolver alguns problemas, também eu estou condicionado, porque não consigo muitas das vezes saber o suficiente para informar os outros, nessas alturas recomendo sites ou blogs de bom criadores, pessoas mais capacitadas para o fazer.
Mas é assim, andando e descobrindo se faz o caminho ...

Borges disse...

Olá

Gostaria de deixar a minha mensagem de parabens pela informação proporcionada!

Gosto bastante de pássaros, especialmente agapornis, mas até hoje nunca tinha aprendido a diferença entre as várias categorias deles.

Pelo facto de estar bem sistematizada e com fotos de bastante qualidade, fiquei esclarecida.

Continue o bom trabalho :D

Thayane Oliveira. disse...

Oi Boa Noite, eu tenho um agapornis e nao sei se e macho ou femea, voce poderia me ajudar ?

Tânia Bizarro disse...

Gostei muito das ótimas informações que aqui deixam. Está tudo muito bem explicado e elaborado. Vou recomendar. Eu tenho um casalinho e assim já aprendi um pouco mais. Cumprimentos