domingo, 31 de maio de 2009

Silvestrismo - Don Fafes

Vídeo - construção do ninho

video

Quando se procura conhecer (ler e ler o que os outros fizeram) e estudar uma espécie nos vários aspectos:

Alimentação - diferentes tipos de sementes, vegetais e frutasVitaminas - antes da altura da reprodução e no seu defeso
Minerais - durante todo o ano mas, muito importante na altura da reprodução

No fim, adaptar os nossos conhecimentos e as diferentes componentes às aves que temos, o que nos pode acontecer é ter algum sucesso nos que fazemos, não esquecer a SORTE.
Vamos ver o que vai acontecer depois do ninho feito!

domingo, 24 de maio de 2009

Entre amigos com Hugo Pinheiro

Nome_Hugo Manuel Ferreira Pinheiro
Morada_S.Martinho de Árvore_ Coimbra
Stam _665 H
Clubes Associação de Ornitologia de Coimbra
Clube Ornitófilo da Figueira da Foz
HYPERLINK
mailto:Email_Hugoporalto@gmail.com
Email_Hugoporalto@gmail.com
Blog_Pinheirohugo.blogspot.com
Contacto_961 806 762Como tudo começo?
Desde que nasci sempre estive rodeado de aves, influenciado pela minha família. Logo de miúdo comecei a desenvolver um gosto incalculável pelo o mundo fascinante das aves. Passei alguns anos a pesquisar e adquirir conhecimento das várias espécies e sub espécies que existem no reino das aves canoras.

Durante este tempo ia desafiando o conhecimento que ia adquirindo, criando várias espécies de aves (Canários, Bengalins, Mandarim...).

Porém, comecei aprofundar a minha pesquisa no grupo dos psitacídios sentindo uma vontade de conhecer melhor como eram os seus comportamentos. Quando me senti com responsabilidade e conhecimento suficiente, arrisquei no mundo da fauna aviária construindo os próprios viveiros (100x50x50) .
Neste momento tenho cerca de 20 viveiros onde analiso atentamente o comportamento e as necessidades destas espécies, para assim poder dar o melhor bem-estar, mantenho actualmente um casal de Agapórnis (mutação paste), periquitos limão, caturras e vários casais de forpus (Forpus conspicillatus, Fospus celestial varias cores).

Dos psitacideos que nomeei, surgi-o de imediatamente uma paixão pelos Forpus, pois são aves muito bonitas e com imensa capacidade para gerar mutações. Tenho dedicado muito do meu tempo a tentar apurar as aves que tenho, coisa que tenho vindo a colher aves muito interessantes. O trabalho de pesquisa, a leitura de artigos e matérias relacionadas com esta espécie têm ajudado, nunca esquecendo o contacto com outros criadores de Forpus.

Em relação à alimentação tento que seja a mais completa e saudável, dando Nutribrid pois é uma ração equilibrada e cientifica, sem deficiências alimentares, fazendo intervalos com Prestige Premium. Além disso dou alguns medicamentos para fornecer aos pássaros uma melhor protecção contra bactérias ( bio-digest, calcilux, bio-bad, omni-vitORLX“).

Antes de adquirir uma ave deverá colocar uma série de questões, e acima de tudo, deverá dar respostas sinceras a si mesmo. Uma ave é um ser vivo, como tal deve ter muita atenção, tentar saber que tipo de aves se adapta melhor ao seu tipo de vida e ao local onde vai ficar. Obtenha-a num criador para assim poder perceber e conhecer a ave e as suas necessidades.
Estes são os meus eleitos.





Se por acaso também é um apaixonado por estas aves, gosta de troca de ideias, quer troca de aves (genética) com vista a melhorar o seu plantel, então contacte-me.
Texto: Hugo Pinheiro

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Tenebrios molitor /larva da farinha

Os tenebrios fazem parte da alimentação de muitas aves incectivoras, também são muito apreciadas pelos filhotes de algumas espécies, por se tratar de uma fonte rica em proteína animal, gorduras, carboidratos, matérias fosfatadas e fibras digestíveis.

Nome comum: Tenébrio, tenebra, tenébrio molitor
Nome científico: Tenebrio molitor


Tenebrio molitor, mais conhecido por sua forma larval, a "minhoca" da farinha , é uma espécie de escaravelho da família dos Tenebrionidae.

Como todos os insectos segue um ciclo de quatro estádios diferentes durante a vida: ovo, larva, pupa (crisálida) e adulto (escaravelho).

Alimentação:Farelos de trigo , pão duro (vários tipos de pão), alguns tipos de farinha para pintos, para fornecer alguma água indirecta podemos colocar a sua disposição: maçã,cenoura e batata, estas devem ser cortadas em finas fatias 2mm de espessura, se optar por dar água, esta deve ser colocada num recipiente com algodão, deste modo evitamos o afogamento dos bichos, a quantidade deve ser totalmente bebida em 24 horas. Podemos fornecer alimento para uma semana mas, devemos levar em conta que os farelos ,pão entre outros são secos logo não devem faltar suplementos ricos em água.

A retirada de sobras fruta e outros alimentos de fácil oxidação e posterior putrefacção deve ser feita diáriamente, deste modo irá impedir o desenvolvimento de fungos na caixa.

A cultura de tenebrios, pode ser feita numa caixa tipo “taparué”, larga com cerca de 20 cm de profundidade, ai deve colocar-se o farelo como substrato e alimentação, deve então colocar esta cultura em local escuro mas, a uma temperatura constante, entre 26 e 32° C. podemos ficar sossegados, depois da transformação de pupas em escaravelhos , estes não voam, deve ser mantido em ambientes secos e escuros.
Nunca deve deitar fora o substrato “restos que ficam no fundo”pois é ai que as fêmeas colocam os ovos, em condições normais estes eclodem após 15 dias e alimentam-se também de farelos.

Atenção, se pretende ter tenebrios em vários estágios de vida pode escolher as temperaturas baixas, assim retarda o seu ritmo e correspondente ciclo de vida.
Pode ser encontrado nas casas PET, onde se vendam repteis, escorpiões e anfibios.

domingo, 10 de maio de 2009

E os canários, Osvaldo?

Aqui ficam algumas fotos das minhas aves deste ano (2009).

Depois de ter "perdido" alguns dos reprodutores para trabalhar este ano, fui obrigado a fazer uma opção com os meus glosters, trabalhar com os canários do ano passado "prata da casa".
Estas são 4, das 7 fêmeas que tenho no meu plantel.
Quase todas são muito novas (08), faltam-me machos experientes para ajudar as fêmeas a tratar das poucas crias que tenho obtido, mas, o mais importante para mim é poder obter alguns canários de onde eu possa escolher alguns para uma linha própria.
Destes, depois de um início promissor, só sobreviveu um.


Aqui está a minha aventura deste ano, os Fife Fancy.
A primeira postura de 3 ovos, saíram estes passarinhos, também aqui ficou só um, penso que o tempo que tem estado não ajuda, hora está frio e chove, hora está muito calor e muito seco.
Não vou atirar a toalha ao chão, porque acredito que com o passar do tempo os canários vão melhorar a sua competência.
Eu, espero!!!!!!
Até parece o BENFICA, só no fim é que fazemos contas!!!!!!

DEGOLADO Amadina Fasciata

Dimorfismo sexual.
Podemos ver nestas fotografias que à diferenças entre os Degolados, o macho possui uma "gola" ao redor do "queixo" de cor, vermelho ou laranja nos casos das mutações, as fêmeas são de uma só cor. Mutação: Degolado mutação laranja, devido a ser uma ave ainda pouco vista e haver muitos poucos exemplares o seu preço é elevado.
As anilhas para os degolados devem ser de 2,7mm segundo a tabela de anilhagem.
TABELA DE MEDIDAS DE ANILHAS E ESPÉCIES CORRESPONDENTES
Exemplos de aves a que se destinam
"EXÓTICOS: Degolado, Alario, tentilhão Cabeça Negra, Capuchinho Tricolor, Botão Ouro ou Canário da Terra, Cabecita de Fósforo, Amadina de Cabeça Vermelha, Freirinha Grande, Dom Fafes Mongólia, Asa Rosa, Mandarim (mutação gigante). "
Artigos relacionados:
Ninhos e material para forrar os mesmos.

Tintelhão africano - Degolado


Tentilhão Degolado
Colarinho vermelho
Dias de festa
Seja qual for a ocasião, mesmo em situações informais, o Tentilhão Degolado apresenta-se no seu melhor: plumagem na qual se mesclam tons de castanho e um 'colarinho' vermelho 'debruado' a branco, que lhe enfeita a garganta, e que não contempla as fêmeas.
Dias de paixão
Oriundo do continente africano, de países como a Namíbia, Zimbabué, Botsuana e África do Sul, onde habita savanas e matagais, o Tentilhão Degolado reproduz-se, essencialmente, entre Janeiro e Abril, que coincide com a época seca africana. A fim de impressionar a fêmea, corteja-a cantando e movimentando- se em direcção à sua eleita. Enquanto isso, estica o pescoço erguendo e exibindo o seu 'colar' vermelho. Ao que parece, dedicam-se mais ao cortejo nupcial do que à construção do ninho, esférico, o qual constroem com ervas secas mas que se apresenta tosco, quase rudimentar. Nele, a fêmea deposita quatro a nove ovos que são incubados por ambos os progenitores. Ao cabo de 12, 13 dias, nascem as crias que só abandonarão o ninho com cerca de um mês de vida. Até lá dependem completamente dos pais.
Dias de liberdade
Em liberdade, o Tentilhão Degolado vive em bandos e é de tal forma gregário que não é raro integrarem-se com outras espécies igualmente diurnas e granívoras. Ainda que se alimente de sementes também come insectos. Daí que seja comum encontrá-los em zonas de cultivo.
Longos dias
Atinge, em média, dez anos de vida.
Tudo isto para os seus animais.
A instinto conta com profissionais para o ajudarem. Ao entrar no site desta revista pode ainda encontrar: Fórum - Curiosidades - Notícias - Espécies - Educação - Entrevistas - Saúde - Contactos - Adopções e Especiais. Tudo isto para os seus animais.Fonte : http://www.instinto.pt/site/index.php

sexta-feira, 8 de maio de 2009

MOMENTOS BIRDSBLOG

Estas são aquelas fotos que dão trabalho. Mas, valem a pena serem editadas, deste modo todos os amigos deste blog podem usufruir destes momentos de rara beleza .




Quero agradecer ao meu amigo Zé Manel, a oportunidade de poder fotografar os seus patos recem nascidos, tinham apenas 2 dias de vida.