sexta-feira, 6 de abril de 2012

Entre amigos com Sr. Tito Costa (Brasil)

Olá Prof. Tito.
Poderia se apresentar?
Sem duvida.
Meu nome é Berenilton Tito Costa, meus amigos me chamam de Tito;
Sou Historiador e trabalho lecionando na Secretaria de Educação do Rio de Janeiro.
Sou criador da Raça Lizard, anilho pelo Clube Rio Ornitológico, uso o sufixo Canaril di Zaion-Rio e possuo o numero FOB/FC-022



Tenho meu canaril no terraço de minha residência, que fica no Município de Duque de Caxias, RJ
Meus contatos: 055-21-97348141



Fale um pouco de você e como teve contato com os canários.
Sou um pai de família, tenho três filhos muito queridos: Ojana que está terminando a Universidade de Biologia, Benhur Gabriel estudando eletrônica a nivel técnico e meu filho caçula Caio de seis anos. Minha esposa é advogada e eu trabalho como professor na rede publica estadual e particula no mesmo município em que moro. Trabalho em cinco escolas para formar uma renda que me permita ao menos dar um pouco de dignidade e conforto a minha família e consiga alimentar meus canários.



Não tenho uma lembrança muito nitida de quando comecei com os bichos, sempre tive um ou outro animal desde a minha mais tenra infância. Criei Cães da raça Mastino Napoletano, onde conquistei todos os titulos possíveis a um criador. Mas, os canários, veio junto ao meu velho pai, este sempre foi passarinheiro, e na primeira oportunidade que tive estava criando os meus. No início eram os mestiços (Pé duro) depois vieram os de cor, até que em uma reunião de nosso clube, alguns amigos muito especiais comoReis, Alvaro Blasina, Seu Luiz Antônio e Luiz Fernando me falaram do Lizard. Era uma estratégia de nosso clube ter criadores especializados em cada raça. Quando vi essa raça pela primeira vez ,parecia um sonho, era exatamente o que procurava, uma raça com todas as dificuldades para se criar com qualidade. Estava ali o desafio que buscava como terapia ocupacional, devido a minha grande carga laboratorial.
Como foi esse início com os Lizard’s?



 Muito dificil, comprar exemplares até que foi fácil, mas quando se começa com seriedade uma coisa, se estuda, rapidamente nos tornamos criticos, e foi justamente o que fiz. Em um belo dia, olhei para o meu plantel e percebi que não criava o bom Lizard, daquele dia em diante comecei uma ardua busca com criadores e linhagens para formar o Lizard como idealizava. No Brasil existe poucos criadores sérios da raça, muitos a criam com fins comerciais outros para conquistar titulos ajudando outras raças, etc. Quando consegui um plantel satisfatório, ganhei de presente, isso mesmo de presente, cinco exemplares europeus. Foi o meu amigo de clube Sr Luiz Fernando em uma de nossas reuniões que me presenteou os bichos de linhagem italiana do criador Giorggio Massarutto (o mesmo que foi campeão mundial em Portugal) alertando-me que os canários portavam uma bacteria e que não conseguira criar. Aceitei o desafio e dos cinco apenas uma femea (a melhor, graças a Deus) me deu quatro filhotes, quando acasalei com um Campeão brasileiro, desses quatro pulverizei o sangue e hoje tenho uma linhagem homogenea que me dar segurança suficiente para ir em frente.


Quantos exemplares tem?
Eu crio a série completa: Os clássicos, Amarelos (dourados), Intenso e nevados (prata) os fundo branco (blue) e os fundo vermelho (Red-Lizard). Esse ano pretendo formar entre trinta a cinquenta casais, vai depender de alguns ajusteis que ainda preciso fazer em meu canaril.


Você leva seus Lizard’s aos campeonatos?
Sim, é uma boa vitrine para se ver como está o nosso trabalho. É somente comparando que nos tornamos críticos de nosso próprio plantel. Exercitamos o olho, é fundamental para o criador de qualquer raça ou cor ter um olho apurado para ver qualidades e defeitos. Aqui no Rio de Janeiro desde que comecei competir em meu clube que sou o seu represetante principal da raça. Já no cameponato nacional ainda não obtive a classificação que busco. O nosso campeonato nacional é gigantesco e muito competitivo.




Como é a criação de Lizard no Brasil?
São poucos os criadores de qualidade e menor ainda, os que dominam a raça. Somente recentemente foi que iniciou um dialogo entre os juizes e criadores da raça. Era uma rotina julgarem erroneamente o Lizard. Lembro-me que em 2008 um grupo de criadores se reuniram no campeonato e os bichos que nos chamarama a atenção não eram os mesmos que os juizes pontuaram bem. Existe uma distancia na interpretação do padrão entre juizes e criadores que já está diminuindo. Recentemente, cerca de uns cinco anos, a raça deu um salto de qualidade, graças aos debates em foruns e comunidades da we, temos uma comunidade do lizard no Orkut: . http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=83239509 com mais de mil mebros. Nosso plantel ainda é pequeno, se comparar-mos ao tamanho continental de nosso país e uma população margeando os 200 milhões de habitantes, apresentamosapenas cerca de 250 exemplares na nacional, e estamos com espectativa para 2012 chegarmos com 500exemplares da raça, assim ela estaria ocupando um lugar de maior destaque. A meu ver, no fenótipo ainda estamos muito distante dos europeus, principalmente na forma, tamanho e marcação de peito. Nos outros itens do padrão estamos avançando com rapoidez. O que tem muito dificultado nosso aprimoramento genetico, são as leis proibitivas do Brasil para importação de passaros, desde a flamigerada gripe aviária que asolou a Ásia, que as barreiras sanitárias se tornarama um impecilio qause intransponível.




 Vocês conhecem a criação de Lizard de Portugal?
Sem duvida, Portugal tem um lugar de destaque a nivel mundial. Criadores como Paulo Alegria, Manoel Murias e Carlos Lima, entre outros que não lembro-me agora, honram a terra lusitana. São pessoas sérias, conhecedoras da raça e possuidoras de planteis de respeito com altissima qualidade. Espero retornar a Portugal (fiz cursos na Universidade de Coimbra) ´para poder visita-los e aprender com eles .Eu particularmente gosto muito do tipo de Lizard português.
Você mesmo cuida dos Lizard’s.?
Sim, ninguém mexe. Dedico-me cerca de uma hora por dia a eles, geralmente ao amanhecer antes do trabalho. A época de cria coloco acendedores de lampadas e me levanto mais cedo, pois os cuidados nessa época são bem maiores. Somente nos finais de semana, na folga do trabalho, que faço os procedimentos que demandam maior tempo.



 Como é a sua alimentação?
Canários são granivoros, portanto faço questão de manter uam boa mistura de sementes, contendo como base o Alpiste. As outras sementes como Linhaça, Perilla, Colza, Chia, Niger, Nabão, Senha e Aveia vou dosando conforme a época, pois a s necessidades são diferentes. Uso um composto de carvão mineral, argila, farinha de ostra e graos de areia disponivel. Uso, também farinhada enriquecida com nutrientes que coloco de acordo com a época.

Você usa algum nutriente extra?
Sim, a tecnologia hoje deve ser usada ao nosso favor. Eu aqui uso Spirulina, Luteina, Zeaxantina, Cantaxatina, Propolis em pó,levedo de cana, Pró e Pré biótico, oléo de peixe e substrato de uma planta dos andes que estou fazendo as primeiras experiências.





Como faz o controle de doenças?
Aqui fazemos um rigoroso controle sanitário. A cada trimestre recolhemos amostras e fazemos exames. Trabalhamos preventivamente, vacinamos contra Bolba Aviária, uso semestralmente uma medicação contra Coccidiose, vermifugo e Ivermectina. Medicação muito raramente, pois, a meu ver, ganhei muito em qualidade de vida dos Lizards quando aboli o uso de medicamentos, principalmente antibioticos. Meu numero de obitos é muito baixo e doenças são raras. Mas o controle sanitário a higiene e a boa alimentação tem de ser levado muito a s.

 Como faz a limpeza do Canaril?
Não basta fazer um controle de sanitário contra virus, fungos, gremes e bactérias sem uma boa higienização do local de criação. Então faço da seguinte forma: uso conjuntos de gaiolas para cada época, assim a cada seis meses eu as troco, fazendo uma rigorosa limpeza com produtos bactericidas. O canaril é higienizado semanalmente a base de cloro e produtos bactericidas. As grades das gaiolas, também uso dois jogos, troco-as semanalmente e submerso elas em água com cloro, lavando-as após 24h. Troco os puleiros mensalmente e lavo todos os comedouros trimenstralmente e os bebedouros uso dois jogos onde lavo e higienizo a cada quinze dias.


É verdade que a pigmentação do Lizard é uma das coisas mais dificeis na raça?
Sim. Acredito que isso seja uma limitação a novos criadores, pois até você dominar a raça as frustações são grandes.



Como faz com os seus?
Vamos por partes: Pigmentar bico, pernas e unhas, tem de se ter uma boa genetica, a seleção no plantel tem de ser seria, com isso podemos potencializa-las com banhos regulares de sol nos primeiros sessenta dias de vida, depois somente com moderação. Usamos uma planta nacional (Erva de passarinho) na alimentação, entramos com omega 3 e 6 através das sementes de Chia e vitamina E, através do óleo de peixe. Para as penas, usamos uma composição de Luteina com Zeaxantina para pigmentar a cor amarela e nos de fundo vermelho usamos a Cantaxatina, ambas com dosagem de 10 gramas por quilo de farinhada. Ainda adicionamos aos vermelhos gordura animal na mistura para um melhor aproveitamento da cantaxatina. No périodo de mudas de pena, deixamos o canario com iluminação reduzida, pois na penumbra a muda ocorre de maneira mais salutar, satisfatória e a qualidade das penas se desenvolve em sua plenitude. Mas, volto a destacar, sem genetica, esse manejo tem pouco efeito.



Que conselho você daria aos novos?
Isso é muito dificil de se fazer, dizer o que os outros devam fazer é muito complicado. Mas diria que para tirar o maximo proveito do hobby, faça aquilo que seu coração pedir. Escolha com muito critério seus primeiros exemplares, visite o maior numero possivel de criadores, frequente exposições, converse com juizes, idealize o tipo de Lizard que pretende criar e forme uma linhagem. Perde-se muito tempo comprando bichos de linhagens diferentes e misturando-as. Mensure tudo, desde as despesas a etologia dos bichos, faça um controle genetico rigoroso, siga sua intuição na formação dos casais, seja paciente, persistente e saiba esperar, uma hora o resultado vem.



 Alguma consiração final?
Fiquei muito lisongeado com o convite. 
Parabenizo aos amigos lusitanos pelo blog e qualidade da canaricultura portuguesa. Quero deixa-los a vontade para perguntas e questionamentos, meu endereço está disponivel no inicio dessa entrevista e será, sempre, uma satisfação atende-los em nosso singelo canaril.


Abraços a todos, e em particular, aos meus ancestrais da Serra da Estrela, de onde veio a minha saudosa avó, que deixou-me herdado uma persistencia peculiar aos navegantes portugueses tão bem descrita por Camões, além é claro do prazer em saborear uma boa comida tipica de Portugal a acidez do azeite e o sabor do vinho.



 Fotografia : Sr. Tito Costa

Em meu nome e do "Birdsblog" agradeço a amabilidade, disponibilidade e amizade que demonstrou em colaborar de imediato, e com pessoas como o senhor que a ornitologia cresce, porque nunca sabemos sozinhos!
Mais uma vez,obrigado ao Sr. Tito Costa, muito boas sorte para seus canários.
Um abraço.
Saudações ornitológicas a todos os criadores brasileiros, Boa Pascoa ... 




5 comentários:

José Santos disse...

Excelente entrevista Osvaldo! É bom saber que do outro lado do atlântico existem aficcionados em lizards e que demonstram vontade em evoluir.

Birdsblog disse...

Obrigado José!
É sempre bom manter relações com outros criadores, é uma boa forma de mostrar também o que outros fazem em seus países pela ornitologia.Por aqui, a coisa vai indo,quanto é que fazemos uma coisa parecida? Pensa nisso ;)!
Um grande abraço.
Osvaldo Sereno

Agente de Pessoal SEEDUC disse...

Olá, Tito.
Há tempos procuro um canaril em Duque de Caxias, pois admiro a plumagem e principalmente o canto dessas aves. Não dou sorte com exemplares comprados na feira de Caxias, morrem em pouco tempo. Gostaria de saber se você vende algumas dessas belezas que tem em seu plantel. A propósito, também trabalho na rede estadual, na Regional Metropolitana V em Duque de Caxias. Abraços, colega.

José Santos disse...

Quando quiseres Osvaldo, como sabes a minha casa está sempre aberta para os amigos. De qualquer forma, creio que é melhor esperar pelo final das criações para se ver as "novas trutas". Um abraço

José Santos

Birdsblog disse...

Amido Zé!
Obrigado pelo teu comentários, como vês, o blog passou o Atlântico ao iniciar algumas colaborações com criadores do Brasil. O que é um privilégio para mim e de certa forma bom para a ornitologia em geral, estão mais parcerias na "calha" para breve. Depois vais ver que também no Brasil por impossibilidade de importação de aves se faz o futuro caminhando...
Quanto à visita, é claro que vou a tua casa com todo o gosto, deixa passar esta altura ...ok
Um grande abraço